A redução de emissões por meio de edifícios verdes representa uma oportunidade de investimento de US$ 24,7 trilhões na próxima década em cidades de mercados emergentes. O levantamento foi apresentado pelo Dr. Mahmoud Mohieldin, Campeão de Alto Nível de Mudanças Climáticas da ONU para o Egito, na COP 27, na última quinta-feira, 17 de novembro.

Segundo ele, a necessidade urgente de atender à entrega rápida de residências e edifícios verdes é uma grande oportunidade para a indústria da construção como um todo – do financiamento à energia e à criação de empregos, o ambiente construído pode acelerar a resiliência e a recuperação climática em todas as partes da economia.

Em 2021, as emissões operacionais de CO2 do setor de edifícios foram 5% maiores na comparação com 2020

“O ambiente construído é um setor crítico para alcançar a transição necessária para um futuro resiliente e com zero emissões. Os edifícios são responsáveis por quase 40% das emissões globais de carbono relacionadas à energia e 50% de todos os materiais extraídos. Temos uma necessidade urgente de atender à entrega rápida de residências e edifícios resilientes e precisamos evitar o ‘bloqueio’ de emissões em construções ineficientes”, afirmou Mahmoud Mohieldin

Mais de 37% das emissões globais de CO2 relacionadas à energia são geradas pelo ambiente construído. Em 2021, as emissões operacionais de CO2 do setor de edifícios foram 5% maiores em relação a 2020 e 2% maiores que o pico anterior em 2019, segundo o levantamento.

“A COP27 mostrou que temos as soluções para criar um ambiente construído melhor e que não podemos mais arcar com edifícios ineficientes, insalubres e com altas emissões, transformando o setor e alcançando as metas críticas de reduzir pela metade as emissões até 2030 e atingir o zero líquido até 2050”, divulgou o WBCSD, principal comunidade global liderada por CEOs de mais de 200 das principais empresas sustentáveis do mundo.

O WBCSD trabalha coletivamente para acelerar as transformações do sistema necessárias para um futuro líquido zero, positivo para a natureza e mais equitativo. As empresas membros vêm de todos os setores de negócios e de todas as principais economias, representando uma receita combinada de mais de US$ 8,5 trilhões e 19 milhões de funcionários.

O WBCSD, como parte da Coalizão BuildingToCOP , reuniu o setor na COP27, responsável por quase 40% das emissões globais de gases de efeito estufa, em torno de eventos emblemáticos focados nos principais temas de finanças, descarbonização e adaptação e resiliência.

Muitas ações e iniciativas importantes para o ambiente construído foram anunciadas durante a conferência do clima em Sharm el-Sheikh, Egito, sobre a descarbonização do setor

  • Resultado inovador do ambiente construído para 2030: Os campeões climáticos de alto nível da ONU desenvolveram o resultado inovador de 2030 para o ambiente construído, lançando uma série de ações de curto prazo necessárias em todas as alavancas para a mudança de sistemas, da oferta à demanda e à implementação de políticas.
  • Business of Climate Recovery: Accelerating Accountability, Ambition & Action:  Esta agenda , lançada pelo WBCSD, estabelece intervenções para acelerar a descarbonização global dos negócios, apoiando os líderes empresariais, em estreita colaboração com os governos, para aprimorar a responsabilidade, aumentar a ambição e realizar ações em velocidade e escala. Duas áreas de ação prioritárias para o ambiente construído são:
    • Desenvolver roteiros nacionais e subnacionais de descarbonização e resiliência para abordar o desempenho energético e as emissões de todo o ciclo de vida de edifícios novos e antigos.
    • Colocar o carbono vitalício no centro das estratégias e decisões de descarbonização.

  • Resultado inovador do ambiente construído para 2030: Os campeões climáticos de alto nível da ONU desenvolveram o resultado inovador de 2030 para o ambiente construído, lançando uma série de ações de curto prazo necessárias em todas as alavancas para a mudança de sistemas, da oferta à demanda e à implementação de políticas.
  • Relatório de status global de 2022 para edifícios e construção:  o relatório é uma publicação principal da Aliança Global para edifícios e construção (GlobalABC) e fornece um instantâneo anual sobre o progresso do setor de edifícios e construção globalmente. O relatório deste ano constatou que as emissões e a demanda de energia aumentaram além do pico pré-pandêmico. O setor não está a caminho de alcançar a descarbonização até 2050, apesar de um aumento substancial no investimento e no número de países que incluem edifícios como parte de suas Contribuições Nacionalmente Determinadas (NDCs)
  • A Corrida para Zero continua: O percentual de construtoras, por receita, que aderiram à Corrida para Zero dobrou desde a COP26. Os empreiteiros se comprometeram a reduzir pela metade suas emissões até 2030, o mais tardar, em todos os escopos. As organizações do setor de construção agora comprometidas com a Race to Zero totalizam mais de US$ 245 bilhões em receita.  

Contato

Tel.: (32) 3532-6362
WhatsApp: (32) 98420-4422

Endereço
Rodovia Km 6, Ubá – MG, CEP 36500-000

Receba nossas novidades por e-mail

Falar conosco
Precisa de ajuda?
Olá, podemos te ajudar?